Fotografia Digital e Odontologia são palavras que andam de mão dada. Na chamada “era das selfies”, do Instagram e do instantâneo, a Fotografia Digital pode trazer vários benefícios para a prática odontológica. Que paciente não gosta de ver as fotografias de qualidade do resultado da ida ao dentista, do “antes e depois”? Conseguir dar a perspetiva de imagem do dentista ao paciente permite aumentar a sua confiança, e pode até levá-lo a aceitar determinados tratamentos, enquanto ajuda a retratar as capacidades dos dentistas e potencial das clínicas.
Assim, o que é preciso para tirar uma boa fotografia? De uma forma muito genérica, devem-se considerar 4 pontos:
– Um dentista e equipa treinados;
– Um equipamento adequado;
– Um setup correto do equipamento;
– Uma técnica apropriada – vamos explorar mais tarde

Como escolher o equipamento?
Selecionar o equipamento mais adequado para fotografia extraoral e intraoral requer algum conhecimento de fotografia digital, principalmente dado o elevado número de produtos no mercado com qualidade para fotografar neste âmbito. No entanto, a câmara digital single lens reflex, também conhecida como DSLR, é a mais recomendada, pela sua portabilidade, versatilidade e facilidade de manuseamento. Porém, as lentes podem variar consoante o tipo de fotografia odontológica. Por exemplo, para macrofotografia intraoral de grande qualidade, é aconselhável o uso de uma lente macro (85–105 mm) e um anel externo montado. Nestes casos, os espelhos intraorais são essenciais, pois permitem atingir ângulos mais versáteis.

Como fazer o setup?
Para a obtenção do melhor resultado possível, é necessário o setup certo. Embora as câmaras mais recentes consigam (quase) calcular a intenção e tirar uma fotografia com o modo automático, dominar o modo Manual pode ser a chave para uma fotografia odontológica clínica de alta qualidade. O melhor setup da exposição e a calibração do flash pode ser obtido em cursos específicos de fotografia odontológica ou com a compra de câmaras de empresas especializadas em sistemas adequados para uso odontológico (PhotoMed, Dine Corporation e Norman Camera, são três exemplos).
Porém, para quem está a começar, configurar uma máquina pode parecer missão impossível. O modo manual serve, então, melhor o propósito, pois permite controlar fatores essenciais: a exposição. abertura ou f / stop, velocidade do obturador, ISO e ampliação (Tabela 1).

O uso destas configurações simplifica o processo e funciona para a maioria dos cenários clínicos.

Em suma, a evolução nas técnicas de odontologia vem acompanhar o lançamento de cada vez mais produtos e equipamento para fotografia digital de alta qualidade. Ter o equipamento certo e dominar as configurações/setups adequados pode ser a chave para uma fotografia de sucesso. A faltar só fica uma coisa… a técnica.

Fontes:
https://decisionsindentistry.com/article/guide-to-dental-photography/
https://www.dentistryiq.com/products/imaging-scanning-and-photography/article/16352333/digital-photography-in-dentistry-tools-and-techniques-to-help-your-patients-and-improve-your-practice